segunda-feira, 17 de junho de 2019

Um movimento pelos movimentos democratizantes

Todo super-herói tem uma identidade secreta. A do BatMoro apareceu agora, com os vazamentos da Lava Jato, revelando que BatMoro é de fato o Curinga.
O Brasil não precisa de um super-herói na justiça, precisa é de democratizar a justiça. A justiça brasileira só prende pobres, a justiça brasileira é feita para prender pobres. A polícia brasileira existe para reprimir trabalhadores, para prender e matar pobres. A segurança pública brasileira precisa ser democratizada, assim como a educação, a saúde, o transporte, a moradia, a terra, a previdência, o ambiente.
Democratizar é pôr a serviço da coletividade, em vez servir a uma minoria de ricos e de castas privilegiadas. Democratizar é distribuir riquezas e poder. A coletividade precisa decidir sobre o que a afeta.
Não basta ter eleição de quatro em quatro anos, não basta delegar o poder a eleitos sem compromisso com seus eleitores e que se submetem aos interesses dos ricos que têm acesso aos gabinetes. É preciso democratizar as decisões, é preciso democratizar as instituições.
Banqueiros, industriais associados ao grande capital internacional, latifundiários, castas de servidores públicos privilegiados a serviço dos ricos não democratizarão o poder que detêm.
A democracia é o poder da maioria e precisa ser conquistada pela maioria. Mais do que a maioria, porque se a gente for ver, os interesses coletivos são de 99,99% da população, só uma pequeníssima parte da população é formada pelas castas de servidores privilegiados e capitalistas. Democratizar é submeter essa ínfima minoria aos interesses da imensa maioria.
Precisamos de movimentos pela democracia, precisamos de movimentos que elevem a palavra democracia, que universalizem a palavra democracia, que democratizem a democracia.
Assim como há movimentos dos sem-terra e dos sem-casa, que são movimentos pela democratização da terra e da moradia, do campo e da cidade, precisamos também de movimentos pela democratização da educação, pela democratização da saúde, pela democratização dos meios de comunicação, pela democratização da segurança pública, pela democratização da justiça, pela democratização dos transportes, pela democratização do ambiente -- e esta última é a bandeira mais importante do século XXI, porque, se quisermos ter futuro, se quisermos para nossos descendentes um mundo como o que tivemos, teremos de mudar radicalmente nossa relação com o ambiente, para impedir que a destruição que causamos na Terra leva a espécie humana à extinção.
Precisamos de movimentos democratizantes em todas as áreas, que definam o que é, por exemplo, democratizar a segurança pública, ou democratizar a comunicação. Precisamos encher as ruas com movimentos pela democratização, precisamos construir a democracia.
Todas as bandeiras de democratização estavam presentes na Constituição de 1988 e estão em vigor, mas não foram colocadas em prática, porque os brasileiros não foram mobilizados para isso, porque não tomaram consciência dos direitos constitucionais democráticos que conquistaram, porque essas conquistas foram até certo ponto desejos dos legisladores, e permaneceram apenas no papel, sujeitos à vontade política dos governantes.
Os governos do PSDB e do PT, por exemplo, efetivaram direitos democráticos, mas pouco mobilizaram a população para defendê-los. O governo golpista e o governo atual, resultado direto do golpe, estão destruindo os direitos de forma autoritária, sem consulta popular, sem respeito à Constituição e sem que os brasileiros reajam, porque não foram educados politicamente para se mobilizar e defender seus direitos, para se reconhecerem neles.
No entanto, os direitos sociais são conquistas democráticas e precisam ser defendidas pelos brasileiros. Mais do que defendidos, precisam ser conquistados, para que sejam duradouros.
O direito à aposentadoria precisa ser conquistado por um movimento popular democrático. O SUS precisa ser conquistado por um movimento popular democrático. A educação pública gratuita de qualidade para todos precisa ser conquistada por um movimento popular democrático. A segurança pública precisa ser conquistada por um movimento popular democrático. A justiça precisa ser conquistada por um movimento popular democrático. O transporte de qualidade precisa ser conquistado por um movimento popular democrático.
Um Brasil democrático precisa ser conquistado por um movimento popular democrático.
Isso nada tem de comunista ou socialista, porque a questão não é comunismo nem socialismo, a questão é democracia, é a efetivação do que a humanidade consagrou como direitos no final do século XVIII, na Revolução Francesa, também chamada de revolução burguesa: igualdade, liberdade, fraternidade.
Para que existam igualdade, liberdade e fraternidade, é preciso existir democracia, é preciso que a coletividade participe e decida sua vida, é preciso que conquiste os direitos democráticos, é preciso que a minoria se submeta aos interesses coletivos.
Nenhum super-homem nos dará a democracia, a democracia é construída pelos homens comuns.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.