quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

Mais uma prática da ditadura está de volta: o dedo-duro

Enquanto o governo do Maranhão dá um bom exemplo na educação, estabelecendo piso de 6,3 mil reia de salário para professores, o governo federal dá este mau exemplo. Cada um dá o que tem, como se diz.

Agente secreto do governo trabalha disfarçado de vigilante na UnB

André Barrocal, Carta Capital, 13/2/20.

Revelação surgiu em meio a uma briga entre o Ministério da Economia e uma empresa ‘clube de descontos’.

Um agente secreto da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) trabalha disfarçado de vigilante na Universidade de Brasília (UnB). Ele é um “oficial de inteligência”, o topo da carreira na Abin, do qual se exige ensino superior e a produção de relatórios, por exemplo.

A informação sobre o posto desse “espião”, que deveria ser sigilosa por causa do tipo de atividade, faz parte de uma investigação em curso no Tribunal de Contas da União (TCU) sobre um processo seletivo realizado pelo Ministério da Economia em 2019.


Clique aqui para ler a matéria na Carta Capital.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.