segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Estado fora de tudo que for possível, a começar pela imprensa

Artigo do vice-presidente de um jornal da capital repete a cantilena do neoliberalismo.
Contra a Petrobrás.
O objetivo de toda a campanha contra a gigante estatal é claro, desde o governo FHC: transferir a extração de petróleo para as multinacionais.
Tivessem tido êxito antes, não haveria pré-sal, não haveria dinheiro para educação e saúde, previsto da lei que regulamentou a exploração das novas reservas.
Mas tentam de novo.
A grande imprensa que se horroriza com a corrupção finge que não participa dela -- e não há nada mais corrupto no Brasil do que a imprensa, basta ler as biografias de Chateaubriand e Samuel Wainer, para ficar em lado opostos -- e finge também que a corrupção não existia nos governos que ela apoiava.
Estado fora de tudo que for possível, é o título do artigo do executivo do jornal.
Para testar a honestidade do argumento, basta propor: comecemos pela imprensa. Nada de verba publicitária nem de subsídios governamentais para a imprensa, ok?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.