sábado, 2 de agosto de 2014

Tortura a manifestante em delegacia de SP

Sinais nazifascistas ficam mais evidentes. Manifestante está preso desde a Copa. Policial tem tatuagem que exalta Hitler. Não é a primeira denúncia: também aconteceu em Belo Horizonte.

Da RBA.
Manifestante preso em São Paulo diz que sofreu 'choques elétricos' em delegacia
por Tadeu Breda

São Paulo – A Ouvidoria das Polícias do Estado de São Paulo encaminhou ontem (31/7/14) ao Ministério Público denúncia de que agentes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) torturaram o manifestante Rafael Marques Lusvargh, 29 anos, detido por policiais civis na avenida Paulista em 23 de junho, durante protesto contra a Copa do Mundo. O jovem está preso desde então.
A denúncia chegou à Ouvidoria em 2 de julho por meio do irmão de Lusvargh e uma amiga da família. Eles ouviram o relato do manifestante numa das visitas que fizeram ao 8º Distrito Policial, no Brás, região central de São Paulo, onde o manifestante cumpre prisão preventiva. De acordo com a denúncia, Lusvargh teria sido "mantido algemado" e recebido "diversos socos e choques elétricos".
O documento afirma ainda que um dos agentes "pisoteou" o braço do manifestante, ocasionando "falta de sensibilidade na mão". O agressor é descrito na denúncia como "sem cabelos e acima do peso", e possuiria uma tatuagem com a inscrição Mein Kampf – "minha luta", em alemão, título da autobiografia de Adolf Hitler.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.