terça-feira, 13 de maio de 2014

Cresce adesão ao movimento pela desmilitarização da PM

Uma herança da ditadura, assim como a Globo.
Enquanto uma e outra mantiverem seu poder e suas missões -- a Globo, controlando a informação e manipulando a opinião pública, a PM perseguindo e matando o povo --, o Brasil não será uma democracia.
As polícias militares precisam ser desmilitarizadas, a Globo precisa ser fatiada.

Do Unisinos via Diário do Centro do Mundo.
Desmilitarização da polícia ganha fôlego no Congresso
A morte do dançarino Douglas Pereira, o DG, o desaparecimento do pedreiro Amarildo, a reação das forças de segurança frente aos protestos no país. A cada novo episódio envolvendo violência e policiais, cresce no Congresso Nacional a repercussão de propostas de emenda à Constituição que pedem a desmilitarização da Polícia Militar.
A mais recente, de autoria do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), conhecida como PEC 51/2013, prevê a reformulação do sistema de segurança pública e o modelo da polícia no país.
Pela proposta, estados passariam a ter autonomia sobre que tipo de polícia seria adequada para seu território, uma ouvidoria externa seria criada e o treinamento deixaria de ser vinculado às Forças Armadas. Estados, municípios e a União teriam seis anos para implantar as mudanças a partir da aprovação da PEC.
O professor de Direito Penal da UFMG Túlio Vianna diz que a PEC 51 não resolverá, por si só, o problema da violência policial, mas pode fazer com que o Brasil incorpore condições já adotadas em países europeus. Seria o primeiro passo para se ter nas ruas uma polícia treinada para "proteger o cidadão e cumprir as leis", em vez de "combater o inimigo". "Na Europa existe polícia militarizada, mas ela não atua nos centros urbanos. Fica na zona rural, fronteiras. E mesmo militarizada, não é estadual, mas federal", compara.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.