sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Luciana Genro em programa da Band

Ela é a candidata que fala o que no passado falavam candidatos do PT e assim põe oxigênio no ar viciado da eleição.
A mentira faz parte da política na democracia representativa.
O entrevistador é ignorante, mas não é raivoso como outros que dominam os programas da "grande" imprensa e que deturpam os assuntos para manipular a opinião público.
Esta eleição talvez tenha sido o fundo do poço do atual modelo -- ou será apenas a primeira que demonstra como será daqui pra frente, fria e sem participação do povo?
Não acredito que a maioria dos brasileiros vá trocar Dilma por Aécio ou Marina.
Trocar um presente bom por uma volta ao passado ruim ou por um futuro incerto é coisa que a maioria da população só faz em momentos de crise, e não vivemos um momento assim.
O governo do PT tem defeitos graves, mas nem de longe é a corrupção.
Corrupção -- vamos entender de uma vez por todas -- faz parte do sistema capitalista e de qualquer governo "democrático". Os governos tucanos e anteriores foram certamente mais corruptos do que os do PT e um possível governo da Marina seria a corrupção no nível talvez do governo Collor, isto é, de um governo, digamos, desgovernado.
O suposto defeito da corrupção é só a eterna bandeira que a direita balança contra a esquerda, tentando conquistar as classes médias moralistas que são numerosas e influenciam o restante da população, já que dela fazem parte artistas, jornalistas, líderes religiosos etc.
No poder, essa direita é ainda mais corrupta.
Não é esta a questão, portanto, muito menos o defeito do governo do PT.
Se ignoramos esse bombardeamento diário de corrupção, o Brasil governado pelo PT melhora muito.
Se a "grande" imprensa mostrasse as coisas boas que estão sendo feitas e que são escondidas, porque faz oposição e só mostra coisas ruins e escandalosas, aí então é provável que os brasileiros se sentissem tão satisfeitos como jamais se sentiram várias gerações nascidas a partir da ditadura.
Aliás, uma pesquisa internacional não divulgada pela "grande" imprensa, é claro, revelou que o brasileiro é um dos povos mais felizes do mundo.
Os brasileiros vão ignorar a sua própria vida, que melhorou, e votar na oposição porque a "grande" imprensa diz sem parar que está tudo ruim?
Se isso acontecer, será um fenômeno social a ser estudado.
A "grande" imprensa ataca o governo do PT pelas suas qualidades, não pelos seus defeitos.
Os defeitos do Brasil no governo do PT são outros, principalmente a destruição do ambiente e a deterioração da qualidade de vida provocadas pelo agronegócio e pela opção automobilística, dois pilares do "desenvolvimentismo".
Defeitos que nem Aécio nem Marina atacariam, ao contrário, aumentariam; talvez Luciana Genro o fizesse, mas ela não será eleita, e se fosse, não teria maioria no Congresso para realizar mudanças, seria engolida pelo sistema reacionário ou teria de apelar para o povo, convocando uma Constituinte ou outra forma de governo popular. Podemos imaginar o que seria isso: se a "grande" imprensa e outros setores reacionários poderosos já são raivosos contra o governo moderado do PT, contra um governo do PSOL deflagrariam uma guerra civil -- com apoio dos EUA.
O grande erro político do PT é optar prioritariamente pela política tradicional em detrimento do empoderamento popular.
Em vez de promover a politização da população e de criar mecanismos de participação popular efetivos, o PT ficou preso na teia da política tradicional da democracia representativa, em que os políticos são eleitos pelo povo mas representam os interesses econômicos que financiam suas campanhas. Nessa política predominam o oportunismo, a corrupção, os interesses das elites. Qualquer ação a favor dos interesses coletivos só é realizada com muito custo, parcialmente, lentamente.
É o que estamos vivendo. Mudanças pela metade e devagar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.