sábado, 5 de janeiro de 2013

"Privatização do Mineirão é imoral e vai liquidar o futebol mineiro"

É o que diz o presidente do Atlético, Alexandre Kalil.
Seu erro é tratar o governador -- para quem fez campanha em 2010, juntamente com o então presidente do Cruzeiro, hoje senador, Zezé Perrella -- como torcedor.
Acima de atleticano e mineiro, Anastasia é um político neoliberal tucano: foi ele quem doou o estádio -- reformado com dinheiro público -- para a "iniciativa privada" explorar.
PS: Em 2014, Kalil aparece em fotos com Anastasia e Aécio e é cotado como candidato ao Senado -- seria o Perrella do Galo...

Do UOL, em Belo Horizonte.
Atlético vai ao governador contra contrato do Mineirão e prega união com Cruzeiro
Depois de recusar proposta para o Atlético-MG atuar no Mineirão, que será reaberto em 3 de fevereiro, no clássico com o rival Cruzeiro, o presidente Alexandre Kalil disse que levará ao governador de Minas, Antônio Anastasia, o contrato oferecido pelo consórcio Minas Arena, que administra o estádio da Pampulha.
Em entrevista a Rádio Itatiaia, o dirigente atleticano voltou a atacar a proposta apresentada pela Minas Arena. Segundo Kalil, o contrato apresentado pela concessionária é "imoral" e levará o futebol mineiro à "falência".
"O Mineirão não é dos mineiros. O Atlético e o Cruzeiro são dos mineiros. O Mineirão é de uma empresa privada que quer liquidar o futebol mineiro. A brincadeira é algo em torno de três bilhões de reais, e eu estou dizendo aqui porque estudamos os números. Estamos marcados com o governador para ver o horror que é o contrato que estão oferecendo no Mineirão", observou o presidente atleticano.
O Cruzeiro assinou, no final de 2012, contrato com a Minas Arena para os próximos 25 anos. Pelo acordo, o clube celeste terá participação na arrecadação referente à venda de ingressos e no estacionamento do estádio, além de ter um bar temático e um museu no local.
O presidente atleticano pregou a união com o rival para que o contrato do Cruzeiro. "Não é Atlético contra Cruzeiro. Cabe ao Cruzeiro entender isso. É Atlético e Cruzeiro, que são patrimônio do povo mineiro contra uma empresa privada. Esse é o embate. O Atlético abraçar o Cruzeiro contra uma empresa privada", disse."Vamos ser liquidados pela imoralidade que estão tentando fazer no futebol mineiro. Isso são números, eu não vou divulgar antes por questão de lealdade e amizade com o governador. Já estou marcado com ele, vou levar os números, que são absurdos", acrescentou Kalil.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.