sexta-feira, 19 de abril de 2013

Professor da UFF contesta O Globo

Já está virando rotina. O Casado citado já foi bom jornalista, na época em que era possível ser bom jornalista nos jornalões. Hoje, aparentemente, ou o sujeito é do time ou está fora. Qual é o fato em relação a esse falso jornalismo praticado por Globo, Folha, Veja etc.? É que leitores de jornal no Brasil são indivíduos de classe média, intelectualizados, e já perceberam que estavam consumindo lixo, por isso se afastaram ou leem com reservas. Resta uma pequena parcela, que se considera bem informada lendo lixo, mas na verdade mantém seu hábito porque prefere cultivar o preconceito a pensar. Os jovens se informam pela internet, onde o universo é outro e o pensamento progressista é mais atraente, porque mais inteligente e criativo. Conclusão: a influência dessa imprensa é cada vez menor, como comprovam as eleições de 2006 e 2010 e as pesquisas de aprovação dos governos do PT.

Da Agência Carta Maior.
Economista na UFF enumera mentiras de 'O Globo' sobre Venezuela
O economista Victor Leonardo de Araújo, professor da Universidade Federal Fluminense, enviou carta ao jornal 'O Globo' enumerando os dados errados recorrentemente usados pelo jornal para criticar a economia da Venezuela. Entre eles, números sobre déficit público, inflação e produção industrial. Leia a íntegra do texto.

Victor Leonardo de Araujo 
"Prezada Senhora Sandra Cohen, editora de Mundo de O Globo
Já é sabido que o jornal O Globo não nutre qualquer simpatia pelo governo do presidente venezuelano Hugo Chávez, e tem se esforçado a formar entre os seus leitores opinião contrária ao chavismo – por exemplo, entrevistando o candidato Henrique Caprilles sem oferecer ao leitor entrevista com o candidato Nicolás Maduro em igual espaço. Isto por si já é algo temerário, mas como eu não tenho a capacidade de modificar a linha editorial do jornal, resigno-me.
O problema é que o jornal tem utilizado sistematicamente dados um tanto quanto estranhos na sua tarefa de formar a opinião do leitor. Sou professor de Economia da Universidade Federal Fluminense e, embora não seja "especialista" em América Latina, conheço alguns dados sobre a Venezuela e não poderia deixar de alertá-la quanto aos erros que têm sido sistematicamente cometidos.
Como parte do esforço de mostrar que o governo Chávez deixou a economia "em frangalhos", o jornalista José Casado, em matéria publicada em 15/04/2013 ("Economia em frangalhos no caminho do vencedor") informa que o déficit público em 2012 foi de 15% do PIB.
Infelizmente, as fontes desta informação não aparecem na reportagem (apenas uma genérica referência a “dados oficiais e entidades privadas”!!!), uma falha primária que nem meus alunos não cometem mais em seus trabalhos.
Segundo estimativas apresentadas para o ano de 2012 no "Balanço Preliminar das Economias da América Latina e Caribe", da conceituada Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal), o déficit foi de 3,8% do PIB, ligeiramente menor do que no ano anterior, mas muito inferior ao apresentado pelo jornal.
Caso o jornalista queira construir a série histórica para os resultados fiscais para a Venezuela (e qualquer outro país do continente), pode consultar também as várias edições do "Estudio Económico" também da Cepal.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.