sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Carta ao presidente do Congresso

Sobre Renan Calheiros, que pertence aos quadros do aliado PMDB, o PT poderia dizer que "é reacionário, mas é o nosso reacionário". Os tucanos também têm os seus, aliás quase todos são.

Do Observatório da Imprensa.
Carta aberta ao senador Renan Calheiros
Por Venício A. de Lima em 19/2/2013 na edição 734
Para o Doutor Renan Calheiros, senador da República e presidente do Congresso Nacional.
Superadas as longas tratativas prévias, realizadas as eleições para a nova Mesa Diretora do Senado Federal, iniciado o ano legislativo e passado o carnaval, agora que tudo começa a funcionar de verdade, decidi escrever-lhe esta carta aberta.
Primeiro, cumprimento V. Ex.ª por haver sido reconduzido à Presidência do Congresso Nacional. Todos nos lembramos dos constrangimentos públicos que teve que enfrentar quando renunciou a essa mesma Presidência para salvar o mandato, em 2007.
Segundo, cumprimento V. Ex.ª pelo compromisso que assumiu – tanto no dia da eleição como no seu discurso de posse – com a democracia e com a liberdade de expressão, um de seus "quatro vetores" de ação na presidência do Senado Federal (aqui, o seu discurso; acesso em 13/2/2013).
Há, no entanto, pontos importantes que não ficaram inteiramente claros. Tomei a liberdade de selecionar alguns desses pontos, referentes apenas ao quarto vetor – "uma vacina definitiva contra qualquer tentativa de controle da liberdade de expressão" –, fazer citações textuais de trechos e, em seguida, formular indagações que seria do interesse geral, creio, fossem esclarecidas por V. Ex.ª
"Temos que nos engajar e assumir uma firme posição em defesa da democracia e seu mais importante reflexo, a liberdade de expressão. Haveremos de interditar qualquer ensaio na tentativa de controlar o livre debate no país. Trata-se de um antídoto contra pretensões que vêm ocorrendo em alguns países. Temos que nos inspirar sim, nas brisas de uma primavera democrática e criar uma barreira contra os calafrios provocados pelo inverno andino. Vamos criar uma trincheira sólida, se preciso legal, a fim de impedir, de barrar a passagem destes ares gélidos e soturnos."
As lições de geografia identificam seis países andinos: Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Chile e Venezuela. Não seria interessante que V. Ex.ª especificasse a quais está se referindo? E, mais importante, quais são os "ares gélidos e soturnos" que precisam de um "antídoto", provocam "calafrios" e ameaçam a democracia?
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.