sábado, 16 de fevereiro de 2013

Soja com agrotóxico avança na Amazônia

Quando o governo dá dinheiro para os pobres, os tucanos falam que é esmola, que é dinheiro pra vagabundo etc. e tal, mas como é que a soja e outras monoculturas exportadoras avançam no Cerrado e na Amazônia e no Brasil todo, destruindo ambiente e envenenando alimentos, terra e água? É com dinheiro público também. Disso os reacionários não reclamam. Esse dinheiro é chamada de investimento e a produção de alimentos envenenados é chamada de agronegócio. Por que empresários que vivem de financiamentos públicos (são quase todos os grandes) não é vagabundo?

Do Repórter Brasil. 
Monocultivo de soja invade região do Araguaia, no Mato Grosso
Plantações mecanizadas substituem pastos da pecuária e transformam a região. Com financiamento público, produção é marcada por uso intenso de agrotóxicos 
Por Daniel Santini
São Félix do Araguaia (MT) – Aos poucos, a região do Araguaia, no nordeste do Mato Grosso, vai sendo toda ocupada pela soja. São plantações mecanizadas e marcadas pelo uso intensivo de veneno se espalhando por áreas onde antes eram pastos e mata nativa nos municípios de Cana Brava do Norte, Confresa, Luciara, Porto Alegre do Norte, Santa Cruz do Xingu, Santa Teresinha e Vila Rica. A expansão foi impulsionada por financiamentos públicos e abertura de estradas e intensificou-se de tal maneira em 2012 que mesmo terrenos de Bom Jesus do Araguaia, considerados inapropriados para esse tipo de lavoura, por serem baixos demais e sujeitos a alagamentos, estão sendo aterrados e cultivados. As lavouras começam na beira da estrada, quase no asfalto, e ocupam planícies inteiras.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.