quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

O escândalo silencioso da Assembleia paulista

É em São Paulo, mas vale para Minas e qualquer governo tucano. Quando FHC foi presidente foi assim também. Quando tucano governa, o Legislativo fica mudo, cego e surdo. E a grande (?) imprensa também.

Do Blog do Miro.
Tucanos castram Legislativo de SP
Por Altamiro Borges
Em 15 de março haverá eleição para a direção da Assembleia Legislativa de São Paulo. Nada de novo é esperado, já que o parlamento paulista é uma terra arrasada pela longa hegemonia dos tucanos no estado. Nos últimos anos, a Alesp virou um apêndice do executivo estadual. Não fiscaliza o poder público, sabota qualquer comissão parlamentar de inquérito e abusa dos privilégios. A mídia tucana, que adora criticar as mazelas do Congresso Nacional, evita mostrar a inoperância do Legislativo castrado pelo PSDB.
Em entrevista hoje à Folha, o próprio presidente da casa, o tucano Barros Munhoz, reconhece a fragilidade da Alesp. "O esvaziamento do Poder Legislativo no Brasil é brutal. Há um predomínio do Executivo". Ele também confessa que a maioria governista evita apurar as irregularidades do governo estadual. Para ele, CPI "não adianta nada... Em todo país do mundo [barrar CPIs] faz parte do jogo político. Quem tem maioria segura. Por isso que aqui o PT quer CPI, e em Brasília não. É um instinto de preservação".
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.