quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Os novos transgênicos: muito mais tóxicos

Agrotóxico contém o agente laranja, usado como arma química pelos EUA na Guerra do Vietnã.

Da Deutsche Welle Brasil.  
Nova geração de transgênicos pode deixar lavouras brasileiras mais tóxicas
Brasil pode ser o terceiro país a aprovar plantio de sementes resistentes ao agrotóxico 2,4-D. Especialistas alertam que o possível aval da CTNBio à soja e ao milho aumente o uso do herbicida altamente tóxico.

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) julga nesta quinta-feira (19/9/13) o pedido de aprovação de quatro modalidades de sementes transgênicas resistentes ao agrotóxico 2,4-D. São dois tipos de soja e dois tipos de milho.
O Brasil seria o terceiro país a aprovar o plantio dessas variedades. O pedido de liberação foi feito pela americana Dow AgroSciences, que também tem sede no Brasil e é uma das seis gigantes da indústria de sementes e agrotóxicos do mundo.
Segundo Leonardo Melgarejo, representante do Ministério do Desenvolvimento Agrário na CTNBio e avaliador de uma das sementes solicitadas pela Dow, existem "riscos alarmantes" na aprovação. "Nós estamos passando agora para a possibilidade de aplicação via aérea de produtos de alta periculosidade", afirma.
O 2,4-D é um dos componentes do chamado Agente Laranja, usado pelos Estados Unidos durante a Guerra do Vietnã. Ele é o terceiro agrotóxico mais usado no Brasil (5%), depois do glifosato (29%) e do óleo mineral (6%). De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que regulamenta e avalia a toxicidade de agrotóxicos, o 2,4-D é classificado com o nível de toxicidade mais elevado.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.