terça-feira, 3 de setembro de 2013

O apelo a Dilma pela proteção do Parque Nacional da Serra do Gandarela

Uma das lutas mais importantes para que as próximas gerações tenham alguma qualidade de vida em Belo Horizonte. O parque é fundamental para preservar nascentes, mata e animais e garantir a água que abastece a capital, mas está ameaçado pela ação predadora da mineração. Ao chegar para a inauguração do CCBB, na Praça da Liberdade, a presidente belo-horizontina viu faixas e ouviu manifestantes que representam as pessoas comuns na luta contra o poderoso lobby da Vale.

Do aguasdogandarela.org.
Dilma escutou apelo pelo Gandarela na Praça da Liberdade
Ontem (27/8/13) em Belo Horizonte, na Praça da Liberdade, a Presidente Dilma escutou o apelo em prol do Parque Nacional da Serra do Gandarela feito pelo Jorge e pela Teca, integrantes do movimento. Ela chegou, de carro, um pouco depois das 17 horas, para a inauguração do Centro Cultural e caminhou até o coreto. Quando a viram, Teca e Jorge seguraram uma faixa dirigida a ela e acompanharam alguns metros sua caminhada junto com a comitiva.
Próximo ao coreto, Jorge chegou perto da presidente e fez um apelo em prol do Parque Nacional da Serra do Gandarela mencionando que suas águas são fundamentais para Belo Horizonte e que estão querendo detonar com a região. A presidente disse: "Isso não pode acontecer".
Teca, que estava do lado, disse: "Dilma, estão querendo enviar a si, na Casa Civil, um Parque Nacional da Serra do Gandarela alterado para a mineração e isso não pode acontecer. Por favor, nos receba. Nos escute".
Ela se referia à proposta abaixo, que está no Ministério do Meio Ambiente com o Sr. Sérgio Brant Rocha, do Departamento de Áreas Protegidas (DAP), depois de sair do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) "detonado politicamente", por pressão da Vale S.A., sem nenhuma justificativa técnica para as alterações nos limites propostos inicialmente para o Parque Nacional e omitindo uma Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) solicitada por comunidades do entorno, que deveria ser criada junto com o Parque Nacional. Em breve enviaremos informações mais detalhadas sobre esta situação e as providências já tomadas e em andamento.
O Secretário-adjunto da Presidência da República, Geraldo Magela da Trindade, passou seu cartão à Teca e pediu para o movimento enviar material a respeito do apelo. Maurílio, fotógrafo e membro do movimento, conseguiu registrar tudo bem posicionado no alto do coreto.
Os três ficaram na Praça da Liberdade, com várias faixas colocadas na grama e conversaram com quem parava para ler ou fotografar. Deram entrevista sobre a rápida conversa com a presidente a jornalistas dos jornais O Globo e Estado de Minas e conversaram com os deputados Almir Paraca, Rogério Correia e Pompílio Canavez, com quem tiraram fotos.
A íntegra.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.