sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Quem sustenta a revista veja

(Além dos anúncios do governo federal.)
Explicado pelo menos parte do mistério de circulação da revista, cujas vendas e assinaturas despencam, mas que é encontrada em salas de espera e lugares assim. Assinar milhares de exemplares de veja (mais de meio milhão de reais!) para escolas públicas sem licitação não é só uma troca de favores com dinheiro público ("eu assino a revista e você fala bem de mim"), é (mais) um crime contra a educação das crianças paulistas. Imagina se o governo do PT faz uma coisa dessa (com outra publicação), o que a veja publicaria. 

Da Rede Brasil Atual.
Sem alarde da mídia, Alckmin renova 5,2 mil assinaturas da Veja 
Por Helena Sthephanowitz
No último dia 14 de junho, enquanto as atenções estavam voltadas para os protestos nas ruas de São Paulo, o Diário Oficial do Estado publicou a compra – sem licitação – de 5.200 assinaturas semestrais da revista Veja para serem distribuídas nas escolas da rede pública. O valor contratado foi de R$ 669.240,00, a ser desembolsado em nome da Fundação para o Desenvolvimento da Educação, órgão do governo estadual.
Há anos os governos tucanos paulistas recebem duras críticas pela compra em grande volume destas revistas e jornais. As críticas começam pela dispensa de licitação, afinal há pelo menos outras três revistas semanais no Brasil que concorrem com a Veja.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.