quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Comissão de Direitos Humanos é impedida de visitar preso (político?) em Minas

A Comissão de Direitos Humanos existe para isso, se é impedida de atuar já se trata de uma violação dos direitos humanos. Os deputados são autoridades e representantes do povo, como podem ser impedidos de ter acesso a um local público?
Até mesmo na ditadura deputados tinham acesso a presos políticos, se a imprensa não publicava nada é porque estava sob censura.
No entanto, em Minas Gerais, em plena democracia, isso acontece e a "grande" imprensa ignora. Por quê?
Só o movimento Minas Sem Censura parece estar atento ao caso.
O fato envolve outra questão que está sendo ignorada: Carone é preso político?
O processo do governo estadual contra o Novojornal levou à apreensão de computador e outros bens do veterano jornalista político Geraldo Elísio, o Pica-pau, que fez carreira trabalhando para o Estado de Minas e para o próprio governo, entre outros locais.
Qualquer acontecimento envolvendo veículos de comunicação e jornalistas é sempre motivo de muito alarde. No entanto, o que está acontecendo em Minas com o Novojornal e seus jornalistas parece envolvido por um pacto de silêncio.

Do blog do deputado Rogério Correia.
Deputados são impedidos de realizar visita oficial a jornalista preso 
A Comissão de Direitos Humanos da ALMG esteve hoje, dia 12 de fevereiro, no presídio Nelson Hungria, em Contagem, para realizar uma visita oficial ao jornalista Marco Aurélio Carone, com o objetivo de verificar seu estado de saúde e colher depoimento sobre sua prisão. Contudo, os deputados da comissão foram impedidos de colher qualquer depoimento de Carone ou de realizar qualquer registro do encontro.
A notícia chegou para o deputado Durval Ângelo (PT), presidente da comissão, através da Secretaria de Defesa Social do Estado, que disse estar cumprindo "ordens superiores" e que o assunto se tratava de "segurança do Estado". Com esta absurda restrição, os deputados cancelaram a atividade e irão cobrar do governador esclarecimentos sobre este cerceamento de poderes da Assembleia Legislativa.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.