sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Itaú Unibanco comemora o golpe de 1964

Em agendas distribuídas aos clientes, mas volta atrás e diz que foi equívoco. Antes assim.
Curioso é o G1, da Globo, que participou do golpe e apoiou a ditadura, chamando-a de "revolução", agora chamá-la pelo nome adequado. No entanto, acrescenta o "militar", como se os Marinhos e outros não fossem civis. Haverá algum conflito nos bastidores entre Globo e Itaú?
A notícia foi dada primeiro pelo Blog do Mário Magalhães.

Do G1, em São Paulo
Itaú recolhe agendas que citavam 'aniversário da revolução de 1964'
O Itaú-Unibanco informou nesta quinta-feira (20/2/14) que está recolhendo de suas agências as agendas de 2014 que traziam "aniversário da revolução de 1964" no dia do golpe militar de 31 de março.
"A inclusão da frase na agenda foi equivocada, em nada reflete o DNA e as crenças do Itaú Unibanco. Lamentamos o desconforto causado. Somos uma instituição financeira que respeita a diversidade de pensamentos e ideias e a democracia. Reiteramos que o banco nunca pretendeu defender uma posição política no conteúdo entregue aos correntistas e que já estamos recolhendo as agendas com esta frase que ainda existem em nossas agências", informou o banco em comunicado.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.