quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Pela reciclagem, contra a incineração

O problema em relação a vereadores, deputados e senadores vai além do fato de darem as costas aos seus eleitores.
O problema maior é que, uma vez eleitos, eles passam a atuar para os lobbies que pagaram suas campanhas e para os quais foram efetivamente eleitos.
Há um flagrante conflito entre os interesses dos eleitores (maioria) e os interesses dos lobbies empresariais (minoria).
Mobilizações como esta são um retrato da democracia representativa que temos: primeiro elegemos os vereadores, depois os vigiamos e agimos para que não atuem contra nós.
Este caso é exemplar.
Condenar petistas por fazerem caixa dois eleitoral mas não implantar o financiamento público das campanhas é combater os sintomas e ignorar as causas da doença.

Do movimento Nossa BH.
Diga não à incineração e sim para a inclusão social da coleta seletiva! 
Na última quarta-feira (12 de fevereiro de 2014) representantes da sociedade civil estiveram presentes na Câmara Municipal de Belo Horizonte, com o objetivo de alertar os vereadores dos riscos da aprovação de dois projetos de lei que poderão permitir a tecnologia de incineração dos resíduos sólidos em Belo Horizonte.
Ambos os projetos são de autoria do presidente da Casa, vereador Leo Burguês, e se complementam. O projeto 043/13 autoriza a tecnologia de plasma para processamento do lixo, enquanto que o projeto 052/13 permite ao município a realização de licenciamento de entidades ou empresas públicas ou privadas para tratamento térmico de resíduos urbanos com geração de energia.
A incineração de resíduos sólidos vem sendo uma ameaça enfrentada pelo Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR) e por diversas entidades que atuam na defesa dos trabalhadores da reciclagem e suas organizações, na defesa do Meio Ambiente sustentável e da Saúde Pública.
A íntegra e para assinar a petição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.