quinta-feira, 7 de março de 2013

Polícia da ditadura continua atirando em estudantes

As polícias militares são ainda as mesmas do regime militar, não estão aptas a atuar em manifestações populares e não têm competência para combater o crime. Agem com violência e prepotência e clandestinamente, escondendo a identificação dos policiais. Todos os estudiosos do assunto dizem isso, mas nada é feito para adequar as PM à democracia.

Do Último Segundo.
Polícia usa bala de borracha contra estudantes da UFMT 
Alunos protestavam contra falta de moradia estudantil paralisando o trânsito 
A polícia usou balas de borracha contra estudantes da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) que protestavam contra a falta de moradia estudantil da instituição. Eles paralisaram o trânsito. Segundo nota da instituição de repúdio à violência, seis alunos foram detidos.
Com cartazes, batuque e gritos de guerra, dezenas de estudantes chamavam a atenção para a carência de dormitórios na avenida Fernando Correa, próxima ao Campus, em Cuiabá. Em um vídeo de 14 minutos na internet, políciais pedem que os alunos liberem o trânsito após cerca de cinco minutos. "Já chega", diz um policial. Os estudantes insistem e adotam gritos de guerra também contra os policiais "Não tem polícia, não tem fuzil, aqui quem manda é o movimento estudantil", gritam.
Os policiais empurram a barreira de estudantes, algemam alunos e usam balas de borracha. Pelo menos um rapaz e uma moça aparecem com ferimentos. Outro vídeo de dois minutos mostra um policial atirando contra um estudante a poucos metros.
Em nota, a faculdade de Direito da UFMT afirma que "dirigiu-se, de imediato, até o local e interveio junto ao comando da operação em defesa dos estudantes". A instituição também repudiou "com veemência, todos os atos de violência ali praticados, considerando o direito de manifestação em um país democrático".
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.