sábado, 30 de março de 2013

A decadência da Cemig

A Cemig repete sem parar em propaganda que produz a melhor energia do Brasil. Não é verdade. O consumidor mineiro -- que sofre cortes de energia e demoras enormes no restabelecimento -- sabe disso faz tempo, mas nos últimos dias vários fatos escancararam a mentira.
Sob os governos tucanos de Aécio e Anastasia, os investimentos e a qualidade dos serviços da Cemig caíram e sua posição no ranking das companhias de eletricidade despencou: entre 35 empresas, está em 25º lugar.
Para aumentar a conta de luz dos mineiros, a estatal forneceu informações erradas à Aneel: o governo Dilma deu com uma mão -- cortando as tarifas em 18% -- e a Cemig tentou tomar com a outra. A "grande" imprensa, porta-voz do mercado de capitais, ignorou a tramóia; só a repórter do jornal O Tempo contou a história direito.
Para aumentar a distribuição de lucros aos acionistas privados, o governo estadual antecipou o pagamento de uma dívida de R$ 2 bilhões.
É assim que funciona o governo tucano Aécio-Anastasia: gasta muito dinheiro em propaganda e pouco em serviços, dá tudo para os ricos e nada para os pobres, cobra impostos de todos e destina o dinheiro para empresas privadas.

Do jornal O Tempo. 
Reajuste da Cemig será menor por causa de informação errada 
Ana Paulo Pedrosa
O reajuste das tarifas da Cemig deve ficar bem abaixo da média de 6,36% proposta pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e levada em consulta pública no início deste mês. Depois da suspeita de maquiagem nos dados sobre investimentos nos últimos anos, o órgão regulador reduziu a base de remuneração regulatória da Cemig Distribuição, o que deve influenciar diretamente no percentual de reajuste. A base de remuneração é um dos critérios usados no cálculo da nova tarifa.
De acordo com a Associação Brasileira dos Grandes Consumidores de Energia (Abrace), o impacto da mudança seria uma redução de 3,7 pontos percentuais no reajuste médio proposto, o que reduziria o reajuste médio para 2,66%.
O estudo que indicou a distorção de dados foi apresentado na audiência pública pela Abrace. De acordo com a entidade, a Cemig informou que teria investido R$ 8,9 bilhões desde 2007, mas os estudos indicavam um valor 55% menor, de R$ 4 bilhões.
Ontem, a Aneel informou, por meio da assessoria de imprensa, que o estudo da Abrase subsidiou a decisão da agência. O órgão ressaltou que mantém fiscalização permanente e que, mesmo sem o alerta da Abrace, faria a revisão dos valores.
A íntegra.

O Estado de S.Paulo
Aneel indica que cortará tarifa cobrada pela Cemig e ações caem 14%  
Para analistas financeiros, notícia traz 'incertezas' sobre intervencionismo no setor; papéis de outras empresas também caíram na bolsa 
As mudanças feitas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) no processo de revisão tarifária da estatal mineira Cemig azedaram o humor do setor elétrico -- ressabiado desde a renovação das concessões no fim de 2012. As ações da companhia despencaram 13,8% e puxaram as das demais elétricas, que fecharam o dia em queda. O Índice de Energia Elétrica (IEE) caiu 3,46%.
A íntegra.

Da Folha de S. Paulo.
Lucro líquido da Cemig totaliza R$ 4,27 bi em 2012, avanço de 76,8%
A Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) apresentou lucro líquido de R$ 4,27 bilhões em 2012, avanço de 76,8% na comparação com os R$ 2,41 bilhões registrados em 2011. A receita líquida da empresa de energia subiu 17,2% na mesma base de comparação, para R$ 18,46 bilhões no ano passado. O maior impacto positivo nos resultados da Cemig foi a liquidação antecipada de uma dívida do Estado com a companhia. O governo de Minas Gerais, acionista majoritário, decidiu antecipar o pagamento de um contrato de cessão de créditos, o que gerou um ganho financeiro à empresa superior a R$ 2 bilhões.
A íntegra.

Do em.com.br.
Cemig fica em 25º lugar no ranking de qualidade da Aneel  
Zulmira Furbino
A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) ficou em 25º lugar no ranking da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que mediu a qualidade do serviço prestado no segmento no ano 2012. O trabalho avaliou todas as distribuidoras do país e foi dividido em dois grupos: 35 de grande porte, entre as quais está a concessionária mineira; e 28 de menor porte. A DME Distribuição, concessionária municipal que pertence à Prefeitura de Poços de Caldas, no Sul de Minas, ficou em terceiro lugar entre as melhores distribuidoras de energia do país de pequeno porte.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.