segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Professores reagem à campanha de desinformação do governo Anastasia

Dinheiro para propaganda em tevê, rádio e jornais o governo tem, mas para pagar o piso salarial dos professores, que é lei, não tem. Quanto será que custaram as mensagens publicitárias veiculadas no fim de semana pelo "professor" Anastasia? Não é simples questão de dinheiro: os governos neoliberais não pagam bem os professores porque não querem melhorar a educação pública. Povo educado não é manipulado e não vota na direita reacionária.

Do blog da Beatriz Cerqueira.
Precisamos da sua ajuda
Durante o fim de semana, a sociedade mineira assistiu, ouviu e leu uma ostensiva campanha publicitária do governo do estado. Além de divulgar a decisão provisória do desembargador Roney Oliveira, o governo "convocou a categoria" para o retorno às atividades nesta segunda-feira. É importante registrar a "agilidade"com que o governo comprou os espaços em TV, rádios e jornais impressos. A "agilidade" dele foi maior para preparar as peças publicitárias. Diante de tanta "agilidade", fica a dúvida de quando o governo teve acesso a esta decisão para que desse tempo para toda esta ofensiva nos meios de comunicação... Temos um desafio: não retornar às atividades mantendo a nossa greve. É esta a orientação do Sindicato. A decisão do Desembargador é provisória e recorreremos na primeira hora desta segunda-feira. A multa é para o sindicato, que já declarou que assume o risco de pagá-la. No mesmo dia em que foi divulgada a decisão do desembargador, conseguimos uma reunião com a presidenta Dilma, marcamos o evento de lançamento do relógio da copa e conseguimos uma reunião com o líder do governo na Assembleia Legislativa para esta terça-feira, dia 20/9. Nada disso surtirá o efeito necessário se a nossa greve acabar como o governo está anunciando. Por isso, precisamos de ajuda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.