sexta-feira, 18 de abril de 2014

Sítio, site ou saite

Também uso saite e penso como o autor -- nas normas que sigo, o correto seria escrever site com grifo e não entre aspas. Fiquei feliz e ainda mais convicto quando vi que Millôr Fernandes também escrevia assim.
É a lógica da língua brasileira e aconteceu em inúmeros outros casos, como mostra o artigo.
O que eu não consegui resolver ainda é email, que está no mesmo caso, mas ninguém usa emeio ou imeio. Exceto eu, quero dizer.
Deveríamos. Ninguém diz imaiu, assim como ninguém diz site...

Do Terra Magazine.
Sítio, site ou saite? 
José Luiz Teixeira
De São Paulo (SP)

Os brasileiros ainda não decidiram se escrevem sítio, "site" ou saite para indicar uma página da Internet. Eu prefiro saite.
Confesso que ainda não me sinto totalmente à vontade para escrever assim, mas com o tempo devo me acostumar.
Para mim, soa mais estranho quando ouço ou leio o verbete sítio.
Imediatamente, me vem à mente a imagem de um pedaço de terra, com uma pequena casinha, rodeada de galinhas, porcos, alguns patos nadando em um laguinho e uma plaquinha no portão: "Recanto do Vovô".
Quem diz sítio são os portugueses, para quem uma chacrinha, uma pequena fazenda, é chamada na santa terrinha de quinta.
É de onde veio, aliás, a palavra quintal (hoje amanheci etimólogo).
Aqui, não. Aqui a palavra "site" já pegou entre a maioria dos brasileiros, principalmente porque tem para nós um significado específico, preciso.
Ninguém a usa para definir nenhuma outra coisa: não vamos passar o fim de semana no "site"; não descobrimos um novo "site" arqueológico; o País não entra em Estado de "Site".
É a palavra certa para indicar um espaço virtual na rede.
Seu único problema é que é inglesa; precisa, pois, estar sempre entre aspas.
Melhor, então, aportuguesá-la de vez, transformando-a definitivamente em saite.
Ocorreu a mesma coisa com centenas de palavras que para as novas gerações são brasileiras de nascença.
Um exemplo bem significativo talvez seja "boate".
Todo mundo usa boate hoje em dia, mas bem lá atrás, no tempo da influência francesa, quando era chique fazer biquinho para dizer "bifê", escrevia-se no original: "boite".
Assim foi com outros termos importados e, em seguida, naturalizados tupiniquins, como toalete, videoteipe, mídia...
Já pensaram, meus poucos mas bons leitores, se em vez de futebol utilizássemos a palavra ludopédio? Ou balípodo?
Acho que não seríamos pentacampeões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.