quarta-feira, 16 de abril de 2014

As mentiras da Cemig tucanizada

Parodiando o jargão que Paulo Nogueira, do DCM, gosta de repetir: quem acredita em propaganda do governo de Minas acredita em tudo.
Cemig pediu reajuste de quase 30%, ganhou 14% e diz que o aumento é culpa do governo federal. É muita cara de pau da estatal privada que privilegia o lucro dos acionistas e produz uma das piores energias do país.
E ainda tenta jogar contra o governo federal o peso do reajuste ao consumidor mineiro.
Em outras palavras, é usada para fazer campanha para o Aécio.
Nada de novo: é o que Minas tem há 11 anos e um anúncio esclarecedor (mais um) do que o Brasil terá se eleger Aécio.
Sinto vergonha dos atores e cantoras que se prestam a esse papel para ganhar uns trocados, me lembram as beldades que posam nuas para comprar um apartamento. Não que não possam ter convicções reacionárias, mas é que, como artistas, aparentam ser progressistas.

Do Jornal GGN.
Cemig, estatal de MG, se vale de comercial para atacar governo Dilma
A Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) sonegou dados sobre sua participação no aumento de tarifa de luz no Estado e veicula campanha na TV culpando o governo federal pelo evento.
Ator, no vídeo, aparece com a máxima de que "todo mundo sabe que o sistema nacional de energia está enfrentando dificuldade em todo o país por isso é importante você saber como ele funciona". E afirma ao telespectador que a Cemig não define tarifa, que isso é definido por um órgão do governo federal, a Aneel, "que fica lá em Brasília". E foi mais longe com a informação que induz o entendimento do telespectador dizendo que o "governo federal, por meio da Aneel, acaba de determinar um reajuste na nossa conta de energia elétrica da ordem de 14%, provocado, principalmente, pela entrada de operações das termelétricas".
O discurso prossegue, desta vez focando na Cemig e governo de Minas, que, apesar desta "determinação” da Aneel a distribuidora mineira vai minimizar o aumento, continuando firmes na manutenção da isenção do ICMS para quem consome menos de 90 Kwh/mês. Diz o ator que isto vai beneficiar metade das famílias mineiras. E termina, solene, "quem consome menos energia não paga nenhum imposto para o Estado".
Este vídeo publicitário foi feito com verbas do governo de Minas. O que faltou informar?
A Cemig, em seu vídeo, não informa ao consumidor que o aumento de tarifa é decidido pela Aneel a partir de solicitação da própria distribuidora. Em seu blog, a Cemig, com data de 28 de março de 2014, em nota de esclarecimento, informa que pediu à Aneel que conceda um reajuste médio de 29,7%, a saber: "Considerando os números preliminares apresentados, a Cemig solicita para a análise da Aneel, um reajuste médio das tarifas de 29,74%. A definição do reajuste, no entanto, depende da decisão da Aneel, que deverá definir a nova tarifa a ser cobrada a partir de 8 de abril".
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.