sexta-feira, 4 de abril de 2014

Agrotóxicos matam mais um trabalhador

Quem manuseia agrotóxicos sofre intensamente o que nos consumidores vai acontecendo lentamente.

Do saite do MST.
Morte de trabalhador por agrotóxico deve motivar resistências da sociedade  
Por Cláudio Silva*

Vanderlei Matos da Silva trabalhava na empresa multinacional Del Monte Fresch Produce Brasil Ltda. (Del Monte), uma das maiores empresas de produção e comercialização de frutas do mundo. Iniciando seu contrato em abril de 2005, o trabalhador tinha como função, auxiliar no preparo da solução de agrotóxicos usado para ser borrifado sobre a lavoura de fruticultura da empresa Del Monte.
Vanderlei residia na comunidade de Cidade Alta, no município de Limoeiro do Norte, cerca de 200 km de Fortaleza/CE. Esse município está localizado na Chapada do Apodi, atualmente marcada pela presença de grandes empresas do agronegócio produtoras de frutas para exportação. É nessa região, abastecida pelo Rio Jaguaribe e o aquífero Jandaíra, que a empresa Del Monte estruturou suas fazendas.
A partir de julho de 2008, o trabalhador passou a sentir fortes dores de cabeça, febre, falta de apetite, olhos amarelados e inchaço no abdômen. Em agosto do mesmo ano esses sintomas se agravaram, obrigando o empregado a se afastar do serviço. Em 30 de novembro, menos de três meses após o agravamento de suas condições de saúde, veio a falecer com diagnóstico de Insuficiência Renal Aguda, Hemorragia Digestiva Alta e Insuficiência Hepática Aguda.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.