quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Assassino no trânsito vai para a prisão

Foram 16 anos de espera por justiça e 33 recursos para pegar um rico assassino. Um caso raro de punição, ainda assim. Essa é a justiça da qual Joaquim Barbosa representante é o representante máximo, a partir de hoje. Se realmente quiser, o juiz que pensa ser o Batman brasileiro, pode fazer muita coisa pela justiça -- pela justiça verdadeira, que não faz distinção entre ricos e pobres, não a justiça de capa de revista veja.

Da Tribuna de Minas, via Luís Nassif Online.
Uma condenação definitiva por homicídio doloso no trânsito
Após 16 anos do 'racha' (pega) de carro que matou cinco pessoas de uma mesma família, na MG-126, entre Bicas e Mar de Espanha, um dos envolvidos na tragédia, o médico Ademar Pessoa Cardoso, 65 anos, começou ontem a cumprir a pena a que foi condenado. Às 7h30, desta quarta-feira, 21/11, ele se apresentou na cadeia pública de Mar de Espanha, onde reside, após ter a prisão decretada na segunda-feira, pelo juiz da Comarca de Bicas, Ricardo Domingos de Andrade.
Ele foi condenado por homicídio doloso a 12 anos e nove meses de prisão. Junto com o industrial Ismael Keller Loth, condutor da Blazer que atingiu na contramão o Fusca onde estavam as vítimas, Ademar participava do "pega" e apresentou, ao longo do processo, 27 recursos no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e outros seis no Supremo Tribunal Federal (STF). O advogado do médico disse ontem que não irá impetrar ordem de habeas corpus, mesmo porque o entendimento jurídico é de que não cabe mais recurso. O advogado José Ramos, que representa a família dizimada pelo racha, informou que a prisão de Ismael também já foi peticionada e o processo concluso. No entanto, um recurso ainda tramita na Justiça. Ele já foi condenado a 16 anos em júri popular realizado em 2004.
A notícia da prisão de Ademar foi recebida com emoção pelo engenheiro aposentado José Geraldo Carnaúba Corrêa de Souza, 80 anos, pai e avô das vítimas do acidente de trânsito provocado pelo pega. Ele é pai de Adriana, 31 anos, avô de Victória, 2 anos, e Theodora, 7 meses, além de sogro de Júlio César, 32, todos passageiros do Fusca atingido no acidente. Morreu ainda Isabel Benecdita, 93, que também estava no carro e era parente da família.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.