domingo, 18 de novembro de 2012

"Grande" imprensa brasileira distorce noticiário internacional

Ao assumir a posição de partido da direita na política nacional, a "grande" imprensa brasileira perdeu as referências na política internacional, em assuntos nos quais poderia oferecer jornalismo aos seus leitores. Mas não, também escolheu de um lado -- o lado mais reacionário, é claro. Já (dis)torceu contra Obama e agora (dis)torce a favor de Israel. Como é possível se informar assim? Não é. Por isso essa imprensa perde cada vez mais leitores.

Do Jornalismo B.
Jornalões se colocam ao lado de Israel em conflito com palestinos
A reprodução do discurso sionista e a consequente opressão discursiva à causa palestina são marcas importantes da mídia dominante brasileira. O atual conflito entre Israel e Palestina tem trazido às capas dos principais jornais do país novos reflexos desse posicionamento. Enquanto os ataques palestinos são noticiados com fotos – algumas substancialmente fortes –, grandes manchetes e subjetividade que aponta ataques às populações civis, as ações israelenses são narradas sem fotos – ou ao menos sem fotos que impressionem – e como simples ações militares contra terroristas.
Vejamos, por exemplo, as chamadas de Estadão que, nos últimos dias, fizeram referência à situação no Oriente Médio:
Estadão 15/11 – "Ataque de Israel mata líder militar do Hammas" (chamada secundária, sem foto)
Estadão 16/11 – "Tel-Aviv é atingida por míssil pela primeira vez em 21 anos" (manchete principal, com foto)
Estadão 17/11 – “Ataque põe Jerusalém em alerta” (chamada secundária, foto principal da capa)
A Folha de S. Paulo, por sua vez, destacou apenas uma vez, nos últimos dias, com o mesmo sentido:
Folha 17/11 – "Jerusalém sofre 1º ataque desde 70; Israel cogita invasão a Gaza"
Em O Globo, as manchetes principais dos últimos dois dias (16 e 17) constroem o discurso da mesma forma:
O Globo 16/11 – "Tel Aviv é atingida por foguetes palestinos", (com foto de civis israelenses se protegendo)
O Globo 17/11 – "Israel prepara invasão terrestre de Gaza" (com foto de militares israelenses)
Algumas manchetes que não estão nas capas dos jornalões:
Chefe militar do Hamas é assassinado em ataque aéreo de Israel
Israel cometeu um erro que custará muitas vidas, diz pacifista
Dirigente do Hamas assassinado negociava uma trégua permanente com Israel
O que está por trás dos novos ataques sionistas?
Escalada de acciones de Israel en Gaza
Israel prepara invasión terrestre luego de matar 28 palestinos
Israel arrecia ofensiva aérea sobre Gaza y prosigue matanza de palestinos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.