sábado, 21 de julho de 2012

Agronegócio, agrotóxicos, abelhas e humanos

Só duas observações. A primeira: o agronegócio está extinguindo as abelhas, com consequências imprevisíveis para a agricultura e a natureza. A segunda: se os agrotóxicos fazem mal às abelhas, fazem também aos humanos. Nunca é demais repetir: o Brasil é campeão em uso de agrotóxicos, substâncias que provocam câncer.

Do Eco Notícias.
Ibama estuda proibir agrotóxicos nocios às abelhas
Daniele Bragança
O Ibama deu um passo inicial para uma política de proteção às abelhas comunicando que reavaliará 4 agrotóxicos associados a efeitos nocivos aos polinizadores: : Imidacloprido, Tiametoxam, Clotianidina e Fipronil. A redução na quantidade das abelhas preocupa governos, cientistas e produtores rurais, pois tem efeito direto na produção dos alimentos: as abelhas são responsáveis por pelo menos 73% da polinização das plantas, de acordo com estudo da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), publicado em 2004.
A decisão do Ibama se baseou em pesquisas científicas e em decisões adotadas por outros países. Na França, o pesticida Fipronil está proibido desde 2004. Por toda a Europa há movimentos para a proibição ou restrição do uso de Imidacloprido.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.