sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Enquanto articulava candidatura pelo PT, Pimentel recebia dinheiro de industriais

Já é notícia internacional, acompanhada pela BBC. Não é assunto novo, apareceu antes em maio, quando o foco estava na empresa e no enriquecimento do então ministro Palocci, que acabou demitido. Pimentel era um dos cinco ministros que mantinham empresa de consultoria ativa. Todas as quedas de ministro este ano começaram assim, com matérias da velha imprensa (neste caso, O Globo). Todos disseram que estavam tranquilos, mas acabaram caindo. Uma das marcas do primeiro ano da presidente Dilma foi não resistir aos ataques da velha imprensa. Pimentel não nega que recebeu R$ 2 milhões da Fiemg (Federação das Indústrias de Minas Gerais) -- cujo então presidente, Robson Andrande, hoje é presidente da Confederação Nacional da Indústria -- e da construtora Convap em 2009 e 2010. No seu saite, ele dá explicações e diz que a renda (cerca de R$ 83,3 mil por mês -- ou R$ 50 mil líquidos, conforme ele) é compatível com rendimentos de consultor. É preciso saber que consultoria o ex-prefeito da capital, candidato a candidato a governador, futuro ministro e principal líder do PT em Minas deu à principal entidade empresarial do estado e a uma importante construtora que toca obras para a prefeitura. Diz Pimentel: "Só abri a consultoria após deixar a prefeitura. E dela me desliguei ao receber o convite para assumir o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior". Mas seu ex-sócio na empresa, Otílio Prado, era assessor do prefeito Lacerda enquanto a P-21 prestava assessoria à Convap e só deixou o cargo depois das denúncias. Diz a Folha de S. Paulo: "Depois de pagamentos de mais de R$ 500 mil à P-21, a construtora conseguiu contratos de mais de R$ 90 milhões com a Prefeitura de Belo Horizonte". Isso apesar de dever à prefeitura R$ 474,7 mil em tributos e taxas, segundo O Globo. "Nos registros do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, há pelo menos duas centenas de processos de execução da procuradoria contra a Convap." Na licitação, a construtora apresentou certidão negativa de débitos do município no qual tem sede, Vespasiano, na Grande BH. E o edital da licitação, curiosamente, exigiu apenas esta certidão, quando a regra é exigir que a empresa esteja em dia com o município que contrata a obra... Quem será que elaborou o edital? O promotor de Defesa do Patrimônio Público do Ministério Público de Minas Gerais vê no fato "indício de favorecimento" à Convap. O procurador procurador-geral do Ministério Público de Contas do Estado de Minas Gerais considera "ilógico" o procedimento da prefeitura no caso. Outro cliente da P-21 foi a empresa do filho de Otílio, que pagou R$ 400 mil ao pai e ao amigo do pai. Elio Gaspari argumenta que, se demitiu Palocci (que em quatro anos recebeu R$ 7,5 milhões por consultorias), a presidente tem de demitir Pimentel também. Veja diz que Pimentel será blindado pelo governo, por ser muito próximo de Dilma. A imprensa mineira se limita a publicar notícias de agências, sem investigar por conta própria, não tanto por causa de Pimentel, mas por causa dos amigos que têm em comum: Lacerda, Anastasia e Aécio (a exceção, tímida, é o Hoje em Dia, o qual informa que a consultoria para a empreiteira Convap teria a ver com obras para a Copa do Mundo). É importante destacar, no entanto, que os jovens repórteres do Globo que assinam as matérias -- Thiago Herdy e Fábio Fabrini -- são mineiros. A novas denúncias contra Pimentel reavivaram denúncias antigas ainda não resolvidas na Justiça envolvendo sua passagem pela administração de Belo Horizonte. Ele responde a processo por ter perdoado dívida de R$ 178 milhões de uma operadora de plano de saúde, em 2004. Em maio deste ano, foi denunciado pelo Ministério Público mineiro por suspeita de superfaturamento na construção de casas populares. Em 2005, quando era prefeito, comprou câmaras de vigilância (como as que o prefeito Lacerda quer instalar mais) de uma empresa fantasma. Talvez Pimentel esconda práticas escusas, talvez não, mas o que ele fez e não nega, que nome tem? Enquanto articulava sua candidatura ao governo de Minas pelo Partido dos Trabalhadores (depois de fazer um acordo com o ex-governador tucano Aécio, em benefício dos dois e em prejuízo do seu partido e do eleitorado da Belo Horizonte, e que legou aos belo-horizontinos o prefeito Lacerda), Pimentel era remunerado pela elite empresarial!?

Da BBC Brasil.
Na Argentina, Pimentel diz que denúncias são 'caso superado'
Márcia Carmo, de Buenos Aires
O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, disse nesta sexta-feira, em Buenos Aires, que as denúncias contra ele são um "episódio superado". Pimentel está na capital argentina acompanhado do assessor especial da Presidência, Marco Aurélio Garcia, para participar de reunião sobre assuntos comerciais com o país vizinho. Notícias relacionadas Apesar de popularidade alta, Dilma 'vai torcer por menos escândalos em 2012', diz jornalMinistro Carlos Lupi renuncia e é 7º ministro a cairPara ministro, indústria brasileira tem de se adaptar a real forte Tópicos relacionados Brasil "Eu estou tranquilíssimo, já dei todas as explicações que tinham de ser dadas. Eu tenho certeza de que esse episódio está superado", disse o ministro aos jornalistas brasileiros, ao chegar ao Palácio San Martín, sede do Ministério das Relações Exteriores da Argentina. Questionado se iria ao Congresso Nacional, caso fosse convocado a dar explicações sobre as acusações de irregularidades, Pimentel respondeu: "acho que não há necessidade, mas evidentemente, se o Congresso convocar, eu tenho que ir, porque a obrigação do ministro é atender às convocações do Congresso". No último domingo, uma reportagem do jornal O Globo afirmou que Pimentel recebeu R$ 2 milhões como pagamento de serviços de consultoria para empresas em 2009 e 2010. O dinheiro, de acordo com o jornal, foi recebido depois que Pimentel deixou a prefeitura de Belo Horizonte e antes que ele assumisse como ministro. Segundo a Agência Brasil, Pimentel nega que tenha influenciado o resultado de uma licitação realizada pela prefeitura para favorecer o grupo Convap, para o qual prestou consultoria em 2010, como informou a reportagem. Nesta sexta-feira, o ministro disse que participará da reunião de cúpula do Mercosul, nos dias 19 e 20 próximos, em Montevidéu, no Uruguai, sinalizando que pretende continuar no cargo.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.