domingo, 12 de outubro de 2014

Marina se diminui

Marina se tornou uma opção em 2010 e continuou sendo, mesmo não indo ao segundo turno, porque se manteve fora da disputa entre PT e PSDB. Ao aderir aos tucanos, como fez antes aderindo ao PSB, ela se diminui, porque vira farinha do mesmo saco. Teve a sorte funesta de virar candidata, mas não foi capaz de aproveitar a chance de virar a verdadeira oposição, talvez ganhar este ano mesmo. Apêndice do PSDB é melhor do que ser apêndice do PT? Ministra das Relações Exteriores é melhor do que ministra do Meio Ambiente? O fato é que Marina mostrou que a "nova política" não passa da velha política.
A propósito: todos os itens com os quais o tucano se comprometeu para obter o apoio de Marina fazem parte do programa do PT, exceto a reeleição, mas esta foi criada por FHC para se beneficiar -- alguém acredita que o compromisso é pra valer? Que o tucano abrirá mão da reeleição em 2018, caso seja eleito? Qual a razão da preferência de Marina pelo candidato do PSDB então? Na verdade, parece mais aquela história: "eu estou doido pra te apoiar, diz que aceita o que estou pedindo, pra eu poder me justificar!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.