segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Patrus assume liderança da oposição em Minas Gerais

Do UOL, em Belo Horizonte.
Patrus afirma que "haverá oposição" em Belo Horizonte ao governo de Márcio Lacerda
Rayder Bragon
Após afirmar que parabenizou na noite deste domingo (7) por telefone o prefeito reeleito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), o ex-ministro Patrus Ananias, candidato derrotado do PT à prefeitura da capital mineira, afirmou que "haverá oposição" na cidade ao governo do socialista.
"Eu disse a ele que reconhecia o resultado, que ele pode contar conosco para tudo que for para o bem de Belo Horizonte. Nós não faremos oposição a Belo Horizonte, nós não faremos oposição ao interesse público, mas deixei claro também que ele terá oposição vigorosa, forte. Nós vamos cobrar dia a dia as promessas que ele fez ao povo de Belo Horizonte", disse Patrus a cerca de cinquenta militantes que o aguardavam no comitê central da campanha petista, localizado no bairro de Lourdes, região centro-sul da cidade.
Patrus discursou por dez minutos e afirmou que estará com o programa de governo de Lacerda "nas mãos".
O petista agradeceu à militância pela campanha realizada e disse que a derrota deveria ser encarada como uma forma de "unificação do PT", que até junho deste ano fazia parte da administração de Marcio Lacerda.
Os dois partidos findaram a aliança depois que o PSB decidiu não se coligar na chapa proporcional (vereadores) com os candidatos do PT.
Em seguida, o PT lançou candidatura própria. Nos bastidores há a confirmação de que houve o empenho pessoal do senador Aécio Neves (PSDB) para que petistas e socialistas se separassem.
"Nós tivemos uma grande vitória política. Primeiro, nós unimos, em Belo Horizonte, o Partido dos Trabalhadores. Nós unimos em Belo Horizonte as forças de centro-esquerda, as forças do campo democrático popular", afirmou.
O ex-ministro ainda afirmou que a oposição na cidade foi reativada.
"Demarcamos um campo. A partir de agora, Belo Horizonte e Minas Gerais, porque nós tivemos resultados expressivos no interior, haverá oposição. Nós vamos disputar democraticamente contra as forças do atraso, do conservadorismo e do neoliberalismo", declarou. O candidato derrotado disse que não responderia a perguntas da imprensa.
Patrus afirmou ter recebido um telefonema da presidente Dilma Rousseff parabenizando-o. Segundo o ex-ministro, a presidente teria declarado que a oposição ao governo de Minas Gerais e ao de Belo Horizonte será mais contundente.
Dilma se empenhou pessoalmente na confecção da campanha de Patrus depois que a aliança com o PSB foi desfeita.
"Ela deu os parabéns pela nossa campanha e, reafirmando o que ela disse aqui no comício (realizado no dia 3 de outubro em Belo Horizonte), dentro do espírito democrático, com ética e sem agressões pessoais, mas em torno de valores e princípios, ela deixou muito claro, está estabelecida a linha divisória em Belo Horizonte e Minas", afirmou.
Ele estava acompanhado do vice, Aloísio Vasconcelos, e do vice-prefeito de Belo Horizonte, Roberto Carvalho (PT), rompido politicamente com Lacerda.
Pedro Patrus, filho do ex-ministro, também compareceu ao evento. Ele foi um dos vereadores eleitos no pleito deste domingo.
O ministro Fernando Pimentel chegou ao evento atrasado, quando Patrus já havia começado o discurso.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.