quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Lacerda, o insuperável, quer acabar com campos de futebol de várzea

Além de vender ou tentar vender 80 imóveis municipais, mercados distritais, áreas verdes e até uma rua, o prefeito de Belo Horizonte ataca também os campos de várzea, raros espaços de lazer da população pobre e áreas não construídas na capital. Sem consultar a população atingida! E quer ser reeleito. Ao final da sua obra, quando não restar mais nada para vender em Belo Horizonte, Lacerda vai descansar velejando no Caribe ou no Mediterrâneo? Uma análise do fato foi reproduzida pelo Movimento Fora Lacerda e até fora de Minas, pelo blog do Juca Kfouri.

Do Hoje em Dia.
Prefeitura de BH coloca campos de várzea à venda
Verba conseguida com a negociação dos terrenos será utilizada no programa habitacional Minha Casa, Minha Vida
Humberto Santos, 8/1/2012
Dos campos de terra de Belo Horizonte já saíram vários jogadores que vestiram as cores de América, Atlético e Cruzeiro nos gramados pelo mundo. Comuns até o início da década de 1980, os campos começaram a desaparecer com a especulação imobiliária. Agora, alguns dos poucos que sobraram correm o risco de perder as traves e as partidas. O projeto de lei 1.698/2011, da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), pretende vender 134 terrenos da administração municipal para aplicar os R$ 135,4 milhões no programa Minha Casa, Minha Vida. Dentre as áreas disponíveis, existem pelos menos dois campos onde as comunidades praticam esportes e se encontram. De acordo com a Secretaria de Esportes da prefeitura, há em Belo Horizonte 149 campos de futebol amador e, desse total, 84 são de propriedade da administração municipal. Os números não batem com os apurados pela Federação Mineira de Futebol, que contabiliza 87 áreas para os amadores praticantes do esporte amador. "Os imóveis constituem-se de áreas valorizadas, sem previsão de utilização pelo município, pelo que se lhes propõe destinação que assegure de maneira mais eficaz o atendimento aos interesses da população", justifica o prefeito Marcio Lacerda (PSB) no projeto enviado à Câmara. Uma das áreas está localizada no quarteirão formado pelas ruas Barão de Aiuroca, Frei Luiz de Souza, Nogueira da Gama e Bueno do Prado, no bairro Alto dos Pinheiros. A área de 4.869 metros quadrados foi dividida em 11 lotes, com tamanhos variando entre 180 e 860,25 metros quadrados. O terreno fica próximo ao campo dos Veteranos Unidos da Vila Oeste, que não será vendido. Com a venda da área, a prefeitura espera arrecadar R$ 1,97 milhão. O modesto campo que existe no local serve de lazer para crianças e jovens da região. A segunda área que a prefeitura pretende vender está localizada no bairro Jardim Vitória, na divisa com Sabará. O terreno de 11.926 metros quadrados, na via de ligação do Anel Rodoviário com a BR-262, possui dois campos de futebol. Um deles está abandonado e só restaram as traves. As laterais estão ocupadas por famílias que construíram casas no local. A prefeitura espera apurar R$ 2,3 milhões. Ao lado do campo abandonado, há outro que reúne condições de uso e abriga a sede da Sociedade Esportiva Nazaré, clube amador que utiliza o local desde 1988. "A prefeitura não nos propôs nada nem nos deu posição", diz surpreso o presidente do Nazaré e administrador do local, José Silvério Olímpio, de 51 anos.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.