quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Cuidado com a ioga

E com pilates, com levantamento de peso, com academia, com corrida, com cirurgia plástica, com lipoaspiração, com dieta... etc. etc. A ioga não é um negócio oriental, é um negócio ocidental. Moda. Mercado. Gente picareta ganhando dinheiro. Gente em busca de milagre pagando. Nova York é a capital dos modismos, tem de tudo, tudo começa lá e se espalha. Boa reportagem.

Da CartaCapital.
Reportagem contra ioga desequilibra seus seguidores
Por Joanna Walters, em Nova York
Uma das visões mais comuns em Nova York é a de jovens profissionais esguias correndo pela cidade com esteiras para ioga enroladas embaixo do braço e olhar determinado, indo para uma sessão de madrugada ou na hora do almoço, entre decisões importantes no escritório. Por isso talvez não deva causar surpresa que um artigo incendiário no New York Times, intitulado "Como a ioga pode arruinar seu corpo", colocou de ponta-cabeça a geralmente tranquila comunidade dos amantes da ioga. Nos Estados Unidos, e talvez até na Grã-Bretanha, onde estimadas 1 milhão de pessoas a praticam com regularidade, a ioga possivelmente nunca mais será a mesma. O artigo ofensor, que foi publicado em várias páginas da prestigiosa revista de domingo do jornal, foi escrito pelo veterano autor de ciência William Broad. Ele alegava que "grande número" de estudantes e até "professores famosos" estavam se ferindo com movimentos de ioga ambiciosos e mal ensinados. Ele também citou extensamente as opiniões do veterano local da ioga Glenn Black, que teve uma grave lesão nas costas depois de anos de prática. Segundo Black, "a vasta maioria das pessoas deveria abandonar totalmente a ioga", porque é grande a probabilidade de causarem sérios danos a si mesmas. (...) A fotógrafa profissional Naomi Harris, 38, ficou deliciada com a oferta especial de um passe ilimitado de ioga para frequentar um conhecido estúdio perto de sua casa em Manhattan, no verão de 2008. "Eu decidi que ia realmente mergulhar na coisa, e durante cerca de seis meses fui quatro ou cinco vezes por semana, e estava me sentindo realmente bem." Mas um dia, ao descer a escada de seu apartamento no quinto andar, seu joelho travou. "Foi como um pequeno 'ploc' e doeu um pouco." Ela continuou indo à ioga durante alguns dias, mas o joelho piorou até que falhou sem advertência. Um exame revelou uma lesão na cartilagem do menisco, o amortecedor de choques na junta do joelho, e havia necessidade de cirurgia. "O cirurgião me perguntou o que eu tinha feito, e eu disse que estava realmente saudável e ativa, fazendo ioga até cinco vezes por semana, e ele disse: 'Foi isso!'" Ele disse que viu muitas lesões causadas por ioga, e a dela provavelmente derivava da "pose do pombo", em que o joelho é dobrado para dentro em um ângulo embaixo do corpo. Depois da cirurgia, Harris estava usando muletas e encontrou sua instrutora favorita de ioga com um dos administradores do estúdio. "A instrutora falou: 'Oh meu Deus, o que aconteceu?' Eu lhe contei que o cirurgião disse que eu estava fazendo ioga demais, e ela simplesmente se afastou." O administrador então lhe disse que o dono do estúdio dizia que se você sofrer lesões fazendo ioga é porque tem "carma ruim".
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.