sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Savassi Cineclube: menos um cinema em Belo Horizonte

Aos poucos vão acabando os cinemas alternativos e de rua na cidade. Agora restam o Belas Artes e a Sala Humberto Mauro. Os demais estão em shopping centers.

Do Hoje em Dia.
Cineclube Savassi fecha suas portas definitivamente
Paulo Henrique Silva, 6/1/2012
Dois meses depois de suspender temporariamente suas atividades, devido ao corte do fornecimento de energia elétrica pela Cemig, motivado por atraso do pagamento de contas e realização de ligações clandestinas na rede, o Cineclube Savassi fecha novamente as suas portas, agora de forma definitiva. Sem grandes explicações, o cinema localizado na Rua Levindo Lopes, na Savassi, deixou de exibir filmes na semana passada. Na placa externa que antes exibia a programação do dia lê-se agora "fechado". Os telefones divulgados para informação não atendem e seu proprietário, Anderson Faria, não foi encontrado pela reportagem. De acordo com informações obtidas junto a moradores e funcionários do prédio, o dono do imóvel teria pedido o espaço de volta. Em dezembro de 2009, Faria fechou as quatro salas do complexo Usina, no bairro de Lourdes, outro tradicional reduto de filmes de arte, devido ao não pagamento do aluguel.

Do Estado de Minas.
Grupo Usina confirma fechamento definitivo do Cineclube Savassi
O Cineclube Savassi fechou suas portas oficialmente no dia 6. Anderson Faria, sócio-diretor do Grupo Usina de Cinema, que administrava a sala na Rua Levindo Lopes, afirmou, via e-mail: "Não daremos entrevistas ou nada do tipo posteriormente a esta nota, estou particularmente exausto de toda essa história." A nota enviada por Faria alega que "o encerramento é justificado por uma série de fatos ocorridos contra a empresa Usina de Cinema e seus sócios, ficando impossível a viabilidade, a programação e a manutenção do espaço." De acordo com ele, em 16 de junho de 2011, liminar concedida pelo titular da 13ª Vara Cível de Belo Horizonte, juiz Lewellin, retirou o Grupo Usina de Cinema da administração da empresa Cinema Liberdade S/A, gestora do Belas Artes. A empresa é também proprietária do Cineclube Savassi. "Os espaços são patrocinados pela empresa Usiminas, a qual não possui nenhum tipo de vínculo ou qualquer responsabilidade pelos fatos ocorridos", diz o texto. De acordo com a nota, "a liminar foi concedida sem justificativas pertinentes e sem precedentes na Justiça brasileira. Essa ação, arbitrária, desencadeou uma série de fatos que levaram ao fechamento definitivo de mais uma sala de cinema de rua e de arte de Belo Horizonte." Segundo Faria, o fechamento do Savassi também ocorreu devido a outras questões. "O fato mencionado acima reteve parte do valor de patrocínio que seria de direito do complexo Cineclube Savassi. Houve ainda fatos como fraude na rede elétrica, danificando e paralisando o cinema no mês de outubro, reajuste de 100% no valor de aluguel e a não renovação de patrocínio dos espaços pelo atual patrocinador ou qualquer outra empresa para os próximos anos." Assim Faria encerra a nota: "Saímos de cena com a certeza de que tudo foi tentado nos últimos cinco anos para a permanência do cinema de arte e de autor, pelo cinema brasileiro e, principalmente, pelo cinema local.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.