quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Mais uma do Lacerda: contratação de servidores sem concurso e com altos salários

Lacerda assina lei que cria funcionários sem concurso e salário de R$ 9 mil para a Câmara e manda projeto que cria funcionários sem concurso para a prefeitura. É o toma lá dá cá. E a compensação pelo veto ao aumento de 62% nos salários dos vereadores. E nós pagamos a conta.

Do Estado de Minas.
Marcio Lacerda sanciona criação de doze vagas na Câmara Municipal sem concurso
Depois de vetar o reajuste dos vereadores, prefeito decidiu acatar proposta com salários de até R$ 9 mil para organizadores de eventos
Amanda Almeida e Juliana Cipriani, 25/1/2012
Os vereadores de Belo Horizonte não conseguiram emplacar o aumento de 61,8% para a próxima legislatura, mas pelo menos garantiram a validação de uma lei que cria uma diretoria de eventos com cargos de indicação, valendo salários de até R$ 9 mil na Câmara Municipal. O texto sancionado nesta quarta-feira e publicado no Diário Oficial do Município (DOM) prevê um gasto anual de R$ 1.162.578,33, para pagar por 12 vagas sem concurso público. O valor é um terço dos R$ 3.532.382,40 que custariam, também anualmente, os novos salários dos 41 parlamentares.
A íntegra.

Prefeitura de BH depende da Câmara para contratar mais 52 comissionados
Executivo sanciona criação de 12 cargos na Câmara nessa quarta-feira e agora depende da aprovação dos vereadores para ampliar seus quadros de vagas comissionadas
Juliana Cipriani e Amanda Almeida, 26/1/2012
Depois de garantir o aumento da estrutura da Câmara Municipal de Belo Horizonte, com a sanção da lei que cria 12 cargos no Legislativo, agora é o prefeito Marcio Lacerda (PSB) quem precisa dos vereadores para ampliar seus quadros, com a criação de 52 cargos sem concurso público. As vagas constam de emenda – apelidada de "cabidão" – em projeto de lei que traz o plano de carreira da Guarda Municipal da capital mineira, que volta a tramitar na semana que vem. Se aprovado, o texto prevê um custo adicional aos cofres públicos de R$ 3.158.954,81 por ano, pouco menos do que o impacto financeiro do fracassado reajuste de 61,8% no salários dos parlamentares.
A íntegra.

Um comentário:

  1. O Lacerda acha que BH é uma de suas empresas, isso foi avisado, colocar empresário para administrar não é bom, principalmente quando ele promete fazer uma administração à lá empresarial.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.