segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Governo paulista agora faz um Carandiru por mês

Como aconteceu na USP, a invasão do Pinheirinho pela PM foi de madrugada, com força desproporcional e violência gratuita. Como nos tempos da ditadura, polícia age por conta própria e não obedece sequer ordem da Justiça. O secretário nacional de Articulação Social, Paulo Maldos, foi atingido por bala da PM quando tentava conversar.

Da CartaCapital.
Crônica de uma tragédia
'Liguei para o 190 com medo da polícia'
Por Felipe Milanez e Maíra Kubík Mano, 23.1.2012
O dia começou cedo no último domingo, 22 de janeiro, em São José dos Campos, interior de São Paulo. Depois de chuva forte, havia muita lama por toda a área do Pinheirinho. Às 5 horas da manhã, todos estavam recolhidos em casa, relativamente mais calmos depois que a ordem de despejo, imaginavam, havia sido suspensa. Janaína (que pede para não ter o sobrenome citado), seu marido e filhos dormiam. Então veio o estrondo, seguido por sons diversos, despertando as famílias que vivem na área para um pesadelo. Ela conta, com um olhar distante e um semblante tranquilo, algumas horas mais tarde, o que aconteceu nessa madrugada: "A maioria estava dormindo quando eles entraram. Eu acordei com o barulho do helicóptero. Abri o portão e meu vizinho estava gritando. Eles já estavam quebrando. Não tinha como ficar. Eles entraram em casa atirando. É uma covardia o que eles estão fazendo". Um susto. Porta arrombada. Gás. Na rua, caos, correria. Barulhos de tiros. Gritos. Todos saindo de casa atordoados.
A íntegra.

Da Agência Brasil
Comunidade do Pinheirinho foi agredida "de forma brutal", diz secretário
por Daniella Jinkings
O secretário nacional de Articulação Social, Paulo Maldos, manifestou hoje (23/1/12) indignação com a ação da Polícia Militar (PM) de São Paulo durante as tentativas de reintegração de posse na ocupação do Pinheirinho, em São José dos Campos (SP). Ontem (22), Maldos foi atingido por uma bala de borracha disparada por policiais militares após tentar dialogar com oficiais da PM. Há dois dias que moradores e a PM estão em confronto por causa da reintegração de posse do terreno. A polícia atirou bombas de gás lacrimogêneo e disparou balas de borracha para conter as pessoas que resistiam à reintegração. "A comunidade de Pinheirinho foi agredida de forma brutal", disse o secretário. Maldos foi designado pela Secretaria-Geral da Presidência da República para dialogar com a comunidade e o governo do estado. "Fui ver as perspectivas para construir um programa habitacional para aquela comunidade. Fui passar o dia para conversar sobre a possibilidade de verticalização, construção de prédios".
A íntegra.

Do Último Segundo.
STF é acionado para suspender desocupação do Pinheirinho
A reintegração de posse de terreno em São José dos Campos começou no domingo e houve confronto com a Polícia Militar
A Associação Democrática por Moradia e Direitos Sociais de São José dos Campos (SP) entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a suspensão da desocupação de Pinheirinho, em São José dos Campos (SP). A posse da área é reclamada pela massa falida da empresa Selecta, e vinha sendo ocupada, desde 2004, por cerca de 1,3 mil famílias sem teto. A desocupação da área teve início no último fim de semana, e segundo a associação, o comandante da Polícia Militar que estava à frente da operação ignorou uma ordem da Justiça Federal para que não desocupar a área. A associação também alega que o comandante da Guarda Municipal não recebeu a ordem para suspender as atividades das mãos do oficial de Justiça que foi entregar o mandado.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.