quarta-feira, 3 de outubro de 2012

A "competência" de Lacerda-Anastasia-Aécio: 27 meses para reformar o coreto da Praça

Não é caso isolado: foram meses com o Parque Municipal fechado, para vistoriar árvores; mais de um ano para mudar o piso da Praça da Savassi; meses (já acabou?) para reformar o mirante do Parque das Mangabeiras; anos para implantar o circuito cultural da Praça da Liberdade (o CCBB continua fechado), entre outras aberrações. Mas agora, às vésperas das eleições, estão sendo feitas aceleradamente inúmeras obras de maquiagem e até buracos foram abertos na Praça Sete para fingir que o metrô vai começar. A conta dessas obras de última hora, provavelmente sem concorrência, será paga pela próxima administração -- se Patrus for eleito, ficaremos sabendo, se Lacerda for reeleito, dificilmente -- e provavelmente vai novamente voltar ao passo de tartaruga em que andou sua administração. Endividada, a prefeitura vai pedir socorro ao governo do estado, mas ele também está quebrado... Vai então correr atrás do apoio "republicano" do governo Dilma, que é quem banca todas as obras em que Lacerda e Anastasia-Aécio põem placas, no final das contas.

Do Estado de Minas.
Praça da Liberdade segue com coreto interditado
Obras de restauração do importante equipamento público na praça mais importante de Belo Horizonte são adiadas e reabertura deve ocorrer apenas em janeiro, três meses depois do estimado  
Gustavo Werneck
Outubro seria de festa no coreto da Praça da Liberdade, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. É que o fim das obras de restauro do equipamento foi prometido pelas autoridades estaduais para este mês. Mas quem passa por lá não ouve música, não aplaude a apresentação de corais nem se sente imerso no universo da cultura: o local está isolado por uma faixa de segurança, mantém uma placa anunciando serviços, e no mais, resta o silêncio. Interditado desde novembro de 2010, o coreto tem uma nova data para ser reaberto ao público. Segundo o presidente do Instituto Cultural do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG Cultural), Washington Mello, um dos parceiros do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG) na recuperação do equipamento público, a expectativa é de que a intervenção comece ainda este mês, ficando pronto num prazo de 95 dias, a tempo de ser um dos marcos, mesmo tardiamente, da programação de cinquentenário do banco, ocorrida em setembro. Dessa forma, inauguração só mesmo em janeiro.
O atraso nas obras preocupa os defensores do patrimônio, moradores e pessoas que procuram a Praça da Liberdade para atividades culturais e lazer. "Já entramos em contato com as autoridades. Queremos uma solução. Trata-se de um monumento importante na vida da cidade", diz o presidente da Associação dos Amigos da Praça da Liberdade, Aroaldo de Macedo. Ele espera que o coreto seja reinaugurado até 12 de dezembro, como parte das comemorações dos 115 anos de BH.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.