quinta-feira, 10 de novembro de 2011

O capitalismo sobrevive pelo terror e pela guerra

Artigo analisa a atual fase macabra do capitalismo, dominado por bancos, indústria bélica e velha imprensa, e que vive do terror, justificado na perseguição aos "inimigos da democracia". Saddam Hussein, Osaba bin Laden e Kadafi já foram destruídos. Os próximos são Ahmadinejad (Irã), Hugo Chávez (Venezuela) e Evo Morales (Bolívia). A guerra é permanente porque é com ela que eles ganham dinheiro. Como mostra a crise nos EUA e Europa, o capital não consegue mais fazer o mundo progredir, só lhe resta destruir.

Do blog Escrevinhador.
A espetacularização da barbárie
Por Izaías Almada
Mal a humanidade inicia a sua caminhada pelo século XXI adentro e os sinais exteriores da barbárie reclamam seu perverso protagonismo no dia a dia de todos nós cidadãos e começam a pontuar, a se destacar, nos grandes feudos de comunicação em massa. O capitalismo perdeu a compostura de vez e escancara para quem quiser ver a verdadeira natureza de suas entranhas.A mídia corporativa, a televisão em especial, dominada pelo entretenimento e pelo jornalismo de mau gosto dos últimos anos, avançou um degrau no plano de embrutecimento das consciências, na banalização sistemática dos costumes, dos sentimentos, e na alienação política dos cidadãos. Mas com uma curiosa e, sobretudo, perversa estratégia: a culpa dessa tragédia que nos enfiam pelos olhos e ouvidos, a sua articulação, será sempre dos terroristas muçulmanos ou poderá ser também dos excluídos e seus líderes populistas, ou ainda dos que insistem em teses anticapitalistas… E contra toda essa gente será necessária uma ação profilática e de preferência seguida por uma propaganda de impacto, o mais realista possível.Nessa nova escalada para impor o terror e o medo, o primeiro a tombar foi Saddam Hussein após o genocídio no Iraque. Alguns anos depois vem a morte do "tão procurado" Osama Bin Laden e o genocídio do Afeganistão provocado pela caça ao líder da Al Qaeda. Agora, o cruel assassinato de Muhamar Khadafi e o genocídio líbio. Quem serão os próximos: Ahmadinejad no Irã, já anunciado inclusive, Hugo Chávez na Venezuela, Evo Morales na Bolívia? Algum eventual ditador africano ou asiático?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.