quarta-feira, 16 de novembro de 2011

A miséria da educação em Minas Gerais

Tabela publicada pela edição de hoje da Folha de S. Paulo mostra a lamentável situação de Minas Gerais no panorama nacional. Segundo a matéria, 17 estados não cumprem a lei do piso salarial, mas nenhum paga tão mal aos professores quanto Minas Gerais. Para completar, a PM bateu nos professores em greve, o governo não cumpre as promessas que fez para a volta às aulas e sua propaganda humilha os professores (com que moral vão educar nossas crianças? O "professor" Anastasia não se importa com isso). O governo Aécio-Anastasia só tem dinheiro para propaganda, empreiteiras e pagamento da dívida do bilionário Shopping Administrativo.



Estados não cumprem lei do piso nacional para professor
Aprovada há mais de três anos, a lei nacional do piso do magistério não é cumprida em pelo menos 17 das 27 unidades da Federação, informa a reportagem de Fábio Takahashi e Luiza Bandeira, publicada na edição desta quarta-feira da Folha (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha). A legislação prevê mínimo de R$ 1.187 a professores da educação básica pública, por 40 horas semanais, excluindo as gratificações. A lei também assegura que os docentes passem ao menos 33% desse tempo fora das aulas para poderem atender aos estudantes e preparar aulas. A regra visa melhorar as condições de trabalho dos docentes e atrair jovens mais bem preparados para o magistério.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.