terça-feira, 29 de novembro de 2011

A revolução de novembro no Egito

A gente não entende a letra, mas o clipe vale pelas imagens da multidão feliz na praça. Os caracteres árabes no título significam "voz da liberdade".

Da Agência Carta Maior.
Os jovens guerreiros da praça Tahrir
Eduardo Febbro, direto do Cairo
Os guerreiros de Tahrir não levam armas. Óculos de natação para proteger os olhos das balas de borracha da polícia, um que outro pano ou lenço para se proteger dos gases lacrimogêneos letais, tênis velozes e uma expressão comum que atravessa o rosto de uma geração de guerreiros democráticos que têm entre 20 e 30 anos e já vão para sua segunda revolução. Estão unidos por uma fraternidade a toda prova e uma coragem capaz de desafiar a de qualquer soldado de elite de um exército profissional.
A íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.